sexta-feira, 28 de setembro de 2007
Critérios editoriais
Acho que alguém levou um valente puxão de orelhas do Ricardo Costa. Ou talvez, não.

 
Posted by Sávio Fernandes @ 23:58 ¤ 0 comments
Os jornais também são as pessoas
Lembro-me de, no ano passado, ter acontecido o mesmo com "O Independente". E de há 2 anos, com "A Capital". Agora, foi o "Tal&Qual".
Ao meu lado, o Pratas dizia à RTP, que "ver fechar um jornal é sempre triste. Ver fechar o nosso é mais ainda". E é mesmo.
Eu nunca fiz parte do "Tal&Qual". Ía fazendo. Nestes últimos meses, com muito gosto. O Emídio "pegou" no jornal. Mudou-lhe a linha editorial, para além de outras. Veio carregado de ideias e com a vontade a transbordar. Lembro-me dele - da atitude - ao falar comigo sobre as foto-reportagens que queria que fossem uma constante. E foram. Lembro-me da surpresa - da minha, mesmo - por o saber tão consciente da importância da Fotografia num jornal. Talvez por isso, o aperto cá dentro quando soube. Também por isso. Porque lembro-me é de ter pensado logo na Catarina, na São, no André, na Tânia. Em todos. Porque os jornais também são as pessoas. E estas, eu conheço. Estão já ali, a dois passos. A menos que isso. Estão à distância de um olhar para a direita.
É curioso dar-me agora conta, que metade das pessoas daquela redacção, conheci-as apenas há poucos meses. Não foi preciso muito, para gostar delas. Um serviço bastou. Em alguns casos, muito menos do que isso. Também porque as lia e achei-as muito capazes. E mais, para além disso.
Hoje, está nas bancas o último "Tal&Qual". No editorial do Emídio, sente-se a tristeza de quem vê interrompido um projecto em que acredita. A mesma tristeza que lhe ouvi de manhã. A que vai da incompreensão até ao conformismo, sem fazer nenhuma paragem pelo meio. Porque "quem tem o dinheiro é que manda...". E a ordem foi para fechar.

Fui-me despedir da Catarina, naquela que espero que não tenha sido, de facto, uma despedida. Gosto dela, especialmente. É das melhores profissionais com quem já trabalhei (e eu já trabalhei com dezenas que devem roçar a centena). Gosto dela para lá disso. Nunca lhe disse mas acho que ela sabe.
A Catarina não vê o fim do "Tal&Qual" como um fechar de portas. Vê-o antes como um abrir de novas oportunidades. É das pessoas que está há mais tempo no jornal e não lhe sinto qualquer nostalgia. Ouço-lhe a mesma energia de antes. Vejo-lhe o mesmo optimismo de sempre.
Ainda que com um pequeno aperto cá dentro, eu acredito no que acredita a Catarina. Que este fim trará - de certeza, com toda a certeza - uma série de oportunidades. Para ela, para o Emídio, para a São, para o André, para a Tânia, para o André B., para a Isabel, para a Mayra, para a Célia.

Boa sorte!
 
Posted by Sávio Fernandes @ 18:17 ¤ 0 comments
segunda-feira, 24 de setembro de 2007
Uma gargalhada...
ou um riso. Pronto, um sorriso, vá. A propósito da "ainda mais indignação" do Ricardo Araújo Pereira:

 
Posted by Sávio Fernandes @ 19:13 ¤ 0 comments
sábado, 22 de setembro de 2007
Porque foi o Jorge Palma.


A sair-me na rifa, o Cais do Sodré, em vez do Casino ou da Olga Cadaval. Com condições de trabalho que, ora eram deficientes, ora eram menos do que isso (fiquei a saber como se sente uma sardinha em lata, com uma máquina fotográfica, respectivo equipamento e a transpirar por mais poros do que aqueles que pensa ter).

Valeu a pena. Porque foi o Jorge Palma. Só por isso.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 19:29 ¤ 0 comments
quinta-feira, 20 de setembro de 2007
É que era um par de estalos
Quem me conhece, sabe bem que eu sou contra a violência. Mas neste caso, abria a excepção. É que isto de se fazer um esforço herculiano para se racionalizar as coisas, e depois um certo órgão vital mandar tudo às urtigas, irrita-me. Está bem que aquele sorriso aparece sem aviso. Está bem que logo atrás vem aquela alegria que transborda e contagia qualquer um (ou será só um?). Está bem que há aquele olhar. Está bem que há todo aquele ar... sim, esse mesmo, de menina que não quer crescer. Está bem que há tudo o resto. Está bem, está bem! Mas ainda assim, só apetece é chamá-lo cá para fora e acertar-lhe. Primeiro na aurícula esquerda e logo depois, na direita. Com força. Assim, só para ver se ganhava juízo.

E qualquer coincidência com isto é pura realidade.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 01:39 ¤ 0 comments
quarta-feira, 19 de setembro de 2007
Não sei como...
mas o contador, lá em baixo, chegou aos 4 dígitos.
Obrigado, a quem veio por acaso, a quem veio por engano, a quem veio sabendo ao que vinha. Sobretudo, OBRIGADO a quem volta.

Pode ser que agora, comece a escrever alguma coisa de jeito. Não acredito muito. Espero que vocês, também não.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 21:13 ¤ 0 comments
terça-feira, 18 de setembro de 2007
Meia-hora, apenas.
Na despedida, agarra-me. Num abraço enorme. Num aperto ainda maior. A reacção foi de completa surpresa, de tão inesperada. Conhecemo-nos há meia-hora. Meia-hora, apenas.
-Porque podias ser meu neto, podias ser meu neto.
Não lhe vejo o rosto, mas sei-lhe a aflição. Pela voz, pelo aperto, por tudo.
Aperto-a também, com cuidado.
-Obrigado por tudo.
-Não tem nada que me agradecer!
Não tem. Não tem mesmo. Não fiz nada.
Ouvi-a. Apenas isso. A filha, as obras que lhe levaram, a filha, ela, a filha, o trabalho que não tem mas quer, a filha. Também falei. Pouco, muito menos do que devia. Porque todas as palavras que me sairam, foram curtas para evitar que os olhos se inundassem. Pela filha. E outra vez pela filha. E outra vez eu a torcer para não ver as lágrimas a rolar por ali abaixo. Não rolaram. Ainda bem que não rolaram. Conhecemo-nos há meia-hora. Meia-hora, apenas.
Sei bem que não nos podemos deixar envolver. Não devemos. "...para não correr o risco de perdermos a objectividade", lembro-me da aula. Mas o trabalho há muito que estava feito. Acabou quando o flash foi arrumado.
Não a desaperto. É ela que me desaperta.
-Tenho pena que a São não tenha vindo. Queria tanto falar com ela...
-Ela queria vir mas não pôde. Não pôde mesmo. Está com muito trabalho.
Tenho de ir.
Ela sabe que eu tenho de ir. Estende-me a mão. E mais um aperto. Agora só de mãos. A dela no meio das minhas. E de olhos. Olha-me para dentro, pelos olhos. E bem do alto da agonia que sente, é ela que encontra palavras que me confortam. Com a certeza de quem sabe. Com a naturalidade de quem não tem dúvida. Nenhuma.
Talvez porque podia mesmo ser seu neto, podia mesmo.

Mas conhecemo-nos há meia-hora. Meia-hora, apenas.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 23:46 ¤ 0 comments
domingo, 16 de setembro de 2007
A grande questão
Qual é a probabilidade de eu conseguir contrariar a Lei de Murphy?

(Warning: don´t bet all of it on Murphy...)
 
Posted by Sávio Fernandes @ 09:43 ¤ 1 comments
quarta-feira, 12 de setembro de 2007
Pequena dúvida
Quando 2 raparigas, muito giras, passam por nós na rua e, 1 delas se vira e a rir, diz (com sotaque brasileiro): "o bicho vai te pegar!", pisca o olho e continua a rir, concretamente, quer dizer, o quê?

(Eu só não fiquei sem a dúvida, porque na altura estava ao telemóvel. Foi pena. Tenho a certeza que teria sido muito interessante. O esclarecimento, claro.)
 
Posted by Sávio Fernandes @ 22:01 ¤ 0 comments
Lá teve que ser


Com um serviço a 2 minutos do local. Com tempo mais que suficiente. Lá tive que fazer o sacrifício.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 21:51 ¤ 0 comments
terça-feira, 11 de setembro de 2007
6 anos.

Foto: DR
 
Posted by Sávio Fernandes @ 08:02 ¤ 0 comments
domingo, 9 de setembro de 2007
Portugal, 2 - Polónia, 2
Acho que faz tudo parte da táctica de Scolari. Ele deve saber da péssima relação, da maior parte dos portugueses, com a matemática e quer ajudar-nos, obrigando-nos a fazer contas.

(Livra! Ainda bem que passam os 2 primeiros do grupo.)
 
Posted by Sávio Fernandes @ 13:58 ¤ 0 comments
sábado, 8 de setembro de 2007
Previsão
(que não deve ser só minha)

... de José Sócrates a festejar a segunda maioria (absoluta), nas Legislativas de 2009.
Posso estar enganado, mas...





entre este Luís ->









e este Luís ->










<- vai dar este Zé.



 
Posted by Sávio Fernandes @ 18:44 ¤ 0 comments
sexta-feira, 7 de setembro de 2007
Coincidências... ou não.
You Belong in London



You belong in London, but you belong in many cities... Hong Kong, San Francisco, Sidney. You fit in almost anywhere.

And London is diverse and international enough to satisfy many of your tastes. From curry to Shakespeare, London (almost) has it all!

 
Posted by Sávio Fernandes @ 18:51 ¤ 0 comments
É que a minha vida não é isto...!


(...ou não deveria ser!)

Com mulher e 5 filhos pequenos em casa, e com mil setecentas e trinta e oito coisas por fazer, ter que ir ao "Kubo", de madrugada, fazer umas fotos... Baaah!!!

(Tirando a parte da mulher e dos filhos, é tudo verdade. Incluindo o "Baaah!!!")
 
Posted by Sávio Fernandes @ 08:58 ¤ 0 comments
quinta-feira, 6 de setembro de 2007
"Havia tenores e havia Pavarotti"

Foto: DR

A frase do realizador italiano, Franco Zeffirelli, diz tudo. Incluindo OBRIGADO, por isto e por tantas outras coisas.

Luciano Pavarotti (12 de Out. de 1935 - 6 de Set. de 2007)
 
Posted by Sávio Fernandes @ 13:27 ¤ 0 comments
terça-feira, 4 de setembro de 2007
Sabem que horas são?
É a hora da piadinha parva.
Estão preparados? Cá vai:

Era um cão que só tinha 3 pernas.
Foi fazer xixi e caiu.

(Para quem não está a rir, eu disse que era parva...)
 
Posted by Sávio Fernandes @ 10:54 ¤ 0 comments
domingo, 2 de setembro de 2007
E o dia acaba assim
Vanessa da Mata ft. Ben Harper
"Boa sorte/Good luck"



Muito bem, portanto.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 23:57 ¤ 0 comments
sábado, 1 de setembro de 2007
Ninguém a pára!

Foto: Morris Mac Matzen

Em 1 hora, 57 minutos e 27 segundos, aí está a nova campeã do mundo de triatlo. É portuguesa. O seu nome é Fernandes. Vanessa Fernandes.

PARABÉNS!
 
Posted by Sávio Fernandes @ 20:33 ¤ 0 comments
"Vá pelos seus dedos..."


Já tinha ouvido Louis Armstrong, algumas vezes. Há relativamente pouco tempo, comecei a escutá-lo. (Os meus dedos encontraram-no "and his all stars" - no meio de muitos outros CD´s, que não tinham nada a ver com jazz - a 3,99€! Que acham que fiz?) Desde então, ganhou lugar cativo no leitor do carro. Roda tantas vezes, que até já tenho medo que, de repente, aquilo comece a arder. Espero que não. E vocês também. Porque depois não posso atender aos "tens que me emprestar" que já disse que sim.
Aguentem só mais alguns dias. (E para que fiquem descansados, eu tenho extintor no carro.)

E porque, à exclamativa-interrogativa - "...também vais lá pôr as músicas...!?" - da Fátima, também disse que sim, aqui ficam as 2 primeiras.


Louis Armstrong - Mack the knife


powered by ODEO



Louis Armstrong & Ella Fitzgerald - Cheek to cheek


powered by ODEO
 
Posted by Sávio Fernandes @ 17:50 ¤ 0 comments