quinta-feira, 31 de janeiro de 2008
Precisa-se, com urgência
2 bons pulmões para continuar a tossir.
Obrigado.

[Dói-me cada cm2 da caixa torácica.]
 
Posted by Sávio Fernandes @ 12:11 ¤ 0 comments
quarta-feira, 30 de janeiro de 2008
No comments.


[Correndo o risco de parecer imodesto, esta é A foto. Merecia bem a viagem à gráfica.]
 
Posted by Sávio Fernandes @ 22:56 ¤ 38 comments
Diz que é uma espécie de remodelação
Políticas que precisavam levar 1 volta....



...parece que vai ser de 360º.

 
Posted by Sávio Fernandes @ 22:37 ¤ 0 comments
Coisas mais ou menos óbvias II
Das duas, uma:
Ou foi uma coincidência do caraças, ou o Sócrates lê o meu blogue.
[Cá para nós, é óbvio que a 1ª hipótese é completamente descabida.]

Bom, vou ali tomar 1 Ciprofloxacina, 1 ben-u-ron, 1 colher de Mucosolvan e fotografar uma dança de cadeiras.
Até já.

P.S.: ...e o Mourinho no Benfica, pah? Isso é que era!
 
Posted by Sávio Fernandes @ 09:19 ¤ 0 comments
terça-feira, 29 de janeiro de 2008
Fosse o Sócrates presidente do SLB...
Não é que tivesse grandes dúvidas. Mas agora tenho a certeza.
O meu calcanhar de Aquiles é na garganta.
[Sim, na garganta.]
É só alguém soprar-me ali para a maça de Adão que fico logo KO.
Isso e ir para a rua sem uma gola alta ou um belo de um cachecol.
O fantástico da coisa é que ao menos as consequências são quase imediatas.
[Até consigo ser mais rápido que aquela coisa da empresa na hora que o pessoal do Sócrates inventou.]
Em dois instantes, garganta inflamada e cabeça a rebentar. Coisa para meninos, claro.
É preciso a temperatura chegar perto dos 39º para me achar digno da taxa moderadora.
Assim de repente, sou capaz de me lembrar de 7654875634653 coisas para fazer em 4 horas.
Estar sentado numa sala de espera de uma suposta urgência não é uma delas.
A esta altura do campeonato, saber que a política do Governo para a Saúde está doente, é cultura geral.
E o povo sabe-o bem. Porque sente-o na pele.
Velhotes a irem de madrugada marcar consultas, roça a indecência.
Mulheres grávidas irem a Espanha dar à luz, ultrapassa a indignação.
Urgências hospitalares a serem encerradas, é um verdadeiro desafio a qualquer sentido de lógica.
Listas de espera que atingem as centenas de milhares, nos hospitais públicos seria anedótico se não fosse dramático.
Por tudo isso - e não só - sou forçado a perceber que quem ali espera [e desespera] comigo, ocupe o tempo a imaginar formas de torturar o Correia de Campos.
Por mim, bastava o Sócrates abrir-lhe a porta.
Mas não. Vá-se lá saber porquê, ele não o deixa cair.
Nem o Pinho. Nem o Lino. Nem nenhum dos outros.

Fosse o Vilarinho assim, e aposto que a sala de troféus do Glorioso estava uns 3 Campeonatos e 2 Champions mais composta.
[Ah, special one...!]
E sim, essa ainda está aqui entalada, bem perto da maça do outro.

[Quando tiver tempo arranjo uma imagem bem catita para este post. ;)]
 
Posted by Sávio Fernandes @ 17:21 ¤ 0 comments
segunda-feira, 28 de janeiro de 2008
À Campeão


Nelson Évora oferece parte do equipamento com que se sagrou campeão mundial, em Osaka, para leilão em favor da "Djunta mom".

["Djunta mom" - "Juntar as mãos", em Crioulo - é um projecto de solidariedade da responsabilidade da Federação das Organizações Cabo-Verdianas em Portugal e da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais que visa o apoio a escolas carenciadas de Cabo Verde.]

 
Posted by Sávio Fernandes @ 21:29 ¤ 0 comments
Coisas mais ou menos óbvias

- "Estar vivo é o contrário de estar morto." [Lili Caneças]

- O Sávio é um péssimo blogger.

Em relação ao último ponto, um agradecimento a todos aqueles que por aqui passam na esperança de que este blogue não tenha ficado parado no tempo.

Muito obrigado. [Com uma vénia à Conan O´Brien.]

 
Posted by Sávio Fernandes @ 12:32 ¤ 0 comments
terça-feira, 22 de janeiro de 2008
Final do dia
Assim, outra vez.
Gosto.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 01:32 ¤ 0 comments
segunda-feira, 21 de janeiro de 2008
"Tio, vamos tirar uma fotografia?"


Tenho-a no telemóvel há uns meses valentes.
Hoje, estava a olhar para ela e apeteceu-me partilhá-la.
Por nenhum motivo especial.
[Há pessoas tão especiais que não precisam do motivo.]
 
Posted by Sávio Fernandes @ 14:26 ¤ 0 comments
sexta-feira, 18 de janeiro de 2008
Por esta não esperava eu.
Ler o horóscopo na "maria"?
Consultar o "professor Bambo"?
Não.
Clicar no site da Rádio Comercial!


E 5 números e 2 estrelas, pode ser?
 
Posted by Sávio Fernandes @ 17:42 ¤ 0 comments
Xiça!
... e a impressão de acordar e o cérebro não?

P.S.: "Xiça" é com "x" ou com "ch"?
 
Posted by Sávio Fernandes @ 12:03 ¤ 0 comments
O milagre
8 da manhã.
Hora de ir deitar, finalmente.
2 dias de trabalho em versão maratona.
A meta foi a cama.
2 horas que souberam a nada.
O despertador sobreviveu.
Por pouco.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 11:56 ¤ 1 comments
quinta-feira, 17 de janeiro de 2008
O "grafia" recomenda


"Evocações" - Exposição do pintor António Joaquim.
Galeria do Diário de Notícias, em Lisboa.
[Entrada gratuita]
A partir de Março, na galeria do Jornal de Notícias, no Porto.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 10:06 ¤ 0 comments
quarta-feira, 16 de janeiro de 2008
You gotta be kidding me!

METRO
Estação do Terreiro do Paço com infiltrações
A passagem pedonal da estação de metropolitano do Terreiro do Paço está a apresentar fissuras, apenas um mês depois de ter sido inaugurada. As primeiras infiltrações surgiram depois da chuva que caiu nos últimos dias em Lisboa.

in TSF online


2 Estações.
2 Quilómetros que se arrastaram durante 10 anos - DEZ.
165 milhões de euros que se esticaram - NOS esticaram - até aos 299. DUZENTOS E NOVENTA E NOVE. [Pois, milhões de euros.]
Então e agora quando o S. Pedro abre a torneira é "ah e tal, pinga cá dentro"?!
Eh pah, não me lixem.
Agora que me habituei a pôr 1 pé fora do barco e o outro dentro no metro?
É que dar à perna do Terreiro do Paço até à Baixa/Chiado - e vice-versa - ainda custa um bocado.
Além disso, o horário da Soflusa não bate certo com o meu passo de corrida.
E depois vai-se a ver e 45 minutos ainda fazem falta.
Tempo não é só dinheiro. Também pode ser prazer.
É por isso que abdico de algumas coisas. E de outras, não.
A alternativa não é investir num fato de mergulho.
E nem me apareça o Mário Lino à frente com uma promoção do tipo "compre 1 bilhete e leve grátis umas barbatanas".
Da última vez que vi não tinha guelras.
Portanto, deixem-se de tretas e façam o trabalho como deve ser.
Se eu der por mim a fazer fotografia subaquática vou ficar irritado.
A sério.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 01:25 ¤ 0 comments
terça-feira, 15 de janeiro de 2008
Missão impossível


É estes mini-magnum´s sobreviverem mais de dois dias, assim que entram cá em casa.
[É que nem o Tom Cruise.]
 
Posted by Sávio Fernandes @ 09:36 ¤ 0 comments
quinta-feira, 10 de janeiro de 2008
Trinta e sete barra dois mil e sete
"Beijar uma mulher que fuma é como lamber um cinzeiro". A frase saiu da boca do Macário Correia.
Eu, lamber, lamber é mais gelados.
Falta-me portanto, a experiência de um dos lados da questão para poder concordar com ele.
De um outro ponto de comparação - daquele em que o conhecimento responde "presente" quando é chamado -, beijar uma mulher que fuma é menos agradável do que beijar uma não fumadora. [Isto, tendo em conta unicamente a perspectiva das papilas gustativas.]
Mas a nova lei não é sobre o sabor das amígdalas alheias.
É sobre respeito. E principalmente, sobre direitos.
O direito de se ir a um bar ou a um restaurante e não ter a comida temperada com nicotina.
Ou o direito de, simplesmente, trabalhar sem ter de inspirar monóxido de carbono em vez de oxigénio.
Que haja quem queira construir uma auto-estrada do pulmão esquerdo ao direito, tudo bem.
Cada um tem os hobbies que quiser. Não os impor aos outros, é algo que parece-me, sei lá, razoável.
Para mim, esta lei só peca por tardia.
O lobby das tabaqueiras, finalmente começa a perder influência.
Ainda assim, há que dar algum mérito ao PS e a José Sócrates.
Quanto mais não seja, o de reconhecer a falta de alternativas resultante das directivas da OMS.
Mais vale tarde que nunca. E aí está ela para ser cumprida e todos podermos respirar. Não só de alívio.
Um dos engenheiros aqui da empresa, fumador, define esta lei como "fundamentalismo".
Eu chamo-lhe civilização.
Nem toda a gente consulta o mesmo dicionário. E a isso se chama Democracia.

[Lei n.º37/2007 - Aprova normas para a protecção dos cidadãos da exposição involuntária ao fumo do tabaco e medidas de redução da procura relacionadas com a dependência e a cessação do seu consumo.
in Diário da República n.º156, de 14 de Agosto de 2007, 1.ª Série]
 
Posted by Sávio Fernandes @ 19:42 ¤ 0 comments
domingo, 6 de janeiro de 2008
A mudança do dígito
Ora então, um BOM DIA para todos.

["BOM DIA"... "Bom dia" soa a pouco. Ainda que escrito em caixa alta.]
BOM ANO!!! [É isso, é isso!]
Estarei eu atrasado para poder usar essas 2 palavrinhas?
Não sei. O que sei é que há pessoas que ainda estão a meio da ressaca desse dia.
Há coisas que me fazem muita confusão, confesso. A forma que algumas pessoas escolhem para festejar um novo ano é uma delas. Escapa-se-me por entre os dois neurónios a realização que está subjacente a beber até cair para o lado. [Uma falha grave, bem sei.]
E não bastava isso, para dificultar esta minha compreensão da esfera que me rodeia, tinha que haver pessoas que carregam o conceito de festejo para a proximidade dos gatilhos de shotguns e pistolas metralhadoras.
[Mas o burro devo ser eu. Com a agravante de ter a companhia do Scolari. Arre!]


Para a minha noite de fim-de-ano, havia várias opções. Sendo que uma delas era trabalhar [yeah, right!] e as outras duas não me agradavam particularmente, decidi-me pela opção familiar.

Agradou-me ter [quase] todo o tempo do mundo nesse dia.
A tranquilidade de percorrer a lista de contactos do telemóvel, e mandar sms´s para uns, enquanto as recebia de outros.
Os preparativos para a mesa [apesar de não terem sido feitos por mim].
Os sorrisos e os risos que apareciam aqui e ali, depois de uma e outra palhaçada.
A ansiedade pelo momento e a contagem decrescente, estando perto das pessoas que realmente importam.
O comer as passas [não para formular desejos mas só mesmo porque gosto de passas].
A liberdade que dei à rolha no exacto centésimo do último segundo da contagem na carica da super bock.
Os abraços. Apertados, pois claro.
E o tilintar, em coro afinado, das flutes que foi a confirmação de uma escolha mais que acertada.

E o que desejo eu para quem por aqui resolve aparecer?
Tenho o hábito de desejar para os outros, exactamente aquilo que desejo para mim.
Não conhecer todos aqueles que por cá passam não é motivo para excepções.
Amor.
Saúde.
E que todos os projectos definidos para este novo ano se possam concretizar.
Fazer por isso pode ajudar qualquer coisa, convém lembrar.
Eu próprio vou fazer por não o esquecer.

Um EXCELENTE 2008.
 
Posted by Sávio Fernandes @ 11:49 ¤ 0 comments